Páginas

segunda-feira, 14 de março de 2011

Procura-se uma música


Coloco os fones e sigo em busca da canção ideal.

Comecemos pelo ritmo. Poderia ser um axé que faz a galera pular. Um punk com batidas fortes e moicanos coloridos. Ou uma valsa leve para embalar os corações.

Complicado escolher. Passemos para a letra. Poderia ser uma que contasse uma linda historia de amor. Uma com mensagens de paz ao mundo todo. Ou então uma que denunciasse essa nossa política suja.

Nessa miscelânea de possibilidades não consigo encontrar a certa.

O que eu queria mesmo era uma música que unisse todas as tribos, todos os ritmos, que fizesse o mundo inteiro cantar em uma só voz. Não haveria apenas uma banda para interpretá-la. Teria que ter força e suavidade ao mesmo tempo. Que trouxesse consigo todos os amores, dores e saudades, todos os sorrisos e momentos bons, que fizesse com que o ser humano tomasse consciência de si mesmo e do nosso planeta, que abrisse os olhos de todos ao que acontece a nossa volta. Que conseguisse transmitir a nossa essência, que embalasse nossos momentos tristes e felizes, que fizesse sorrir ao ser tocada no rádio, que lembrasse da pessoa especial, que fizesse ver o mundo de uma maneira melhor. Uma que arrepiasse, encantasse e fizesse o coração bater mais forte, daquelas que dá vontade de cantar em alto e bom som pra que todos ouçam.

Queria tanto e todos em uma música só que não seria possível. Colocar nossas vidas em apenas uma letra e melodia seria pedir demais a qualquer compositor.

Tiro os fones de ouvido e escuto uma coisa na qual não havia prestado atenção. Essa música existe, é só parar pra ouvir: o samba que seu coração toca nas noites de festa com os amigos, o punk que acontece no seu peito antes do primeiro beijo, a valsa que o embala lentamente quando você está com pessoas especiais, o emocore que ele toca nas noites em que você chora abraçada no travesseiro, o happyrock que acontece quando você acorda e vê que o sol está lindo lá fora.

Essa mistura de ritmos nos compõe, embala nossos momentos, e dá sentido a eles. Sem música, a vida não teria a menor graça.

5 comentários:

cecilia disse...

A nossa música,aquela natural.Nossos ritmos.
E a vida não teria graça sem a a música.
Adorei o texto!
aah que saudade tenho de vim aqui!mas ando tão sem tempo pro blog.
Tay seu blog tá lindo (:
Beijo

Thaís. disse...

- Na música, o próprio silêncio tem ritmo.

Cláudio de Souza

muuuito lindo o teu texto, eu tb sou uma apaaaixonada por musica, e por todo esse barulho que ela faz, em mim, tanto interiormente quanto exteriormente.

beeijo:*
to seguindo.

cecilia disse...

Tay obrigada pelo Carinho (:
oh aquele texto que fiz e te deixei curiosa tem continuação se quiser ler tá lá no blog.
Beijo (:

Wevertton disse...

Eu adoro musicas! E como você expressou bem no texto, a musica não tem ritmos... então porque rotulamos dessa forma?! Eu por exemplo nao fico preso somente à um ritmo. Sim, sou fã de Claudia Leitte.. mas estou aberto à tudo, porque essa essencia é a que à! A musica é a mistura do amor!

beijos e passa la quando puder ;-)

cecilia disse...

Oi tay sobre o negocio do Skoob,vc entra no seu perfil e coloca em configurações (logo embaixo da sua foto) ai vai aparecer "dados cadastrais,perfil,login e senha ..." ai vc clica em "whidgets" ai vc clica em Criar novo e pronto só montar como quiser.
Espero que consiga.
Beijos