Páginas

quarta-feira, 31 de março de 2010

Pelo amor, seja ele qual for...


O noivo espera nervosamente no altar, enquanto a noiva entra devagar ao som da música já conhecida. Mas opa! Como faz qando não há uma só "noiva ou "noivo"? A cena tão típica e tão emocionante fica meio distorcida quando ocorre com duas pessoas do mesmo sexo, e as opiniões divergem cada evz mais quando o assunto é homossexualidade.
Sou católica, uma religião que desaprova abertamente a união entre duas pessoas do memso sexo, considerando isso um ato que vai "contra as leis de Deus", mas não sou contra o casamento entre homossexuais. Concordo que pode não parecer muito normal a opção de um casamento que não seja entre um homem e uma mulher, mas atualmente, onde quase nada é "normal", sou a favor de escolher a opção que te faça mais feliz.
É ridículo julgar as pessoas, ou proibí-las de fazer algo porque não compartilham da mesma opinião sexual da maioria da população, ainda mais quando o que se está vetando é uma benção ou uma união de "papel passado".
Em um mundo onde quase tudo é permitido, o amor não deveria ser proibido, seja ele qual for.
Está mais do que na hora de vencermos os preconceitos, aceitarmos que o "diferente" também pode ser normal, e lembrar que o amor que une duas pessoas nnca escolheu raça, credo ou opção sexual.

Um comentário:

Ágatha Alves disse...

Concordo com vc
é besteira nos dias de hoje, ter a cabeça fechada para esse tipo de coisa, pra mim é super normal, até pq convivo com homossexuais e são meus amigos, não vejo problema, eles são pessoas normais mas q optam pelo mesmo sexo, iii?
Preconceito hj é ridiculo.

Beijos