Páginas

domingo, 24 de abril de 2011

Te esperar

Tarde da noite e eu ainda estou aqui. Olhos vidrados, ouvidos atentos. Esperando pacientemente que você decida entrar por aquela porta e fazer tudo ter sentido outra vez.
Ainda faltam algumas horas pra que você finalmente se dê conta de que já é tarde demais, que as crianças já dormiram, os mercados já fecharam e as poucas pessoas pela rua já procuram por abrigo. Mas você sabe que aqui nunca é tarde.
Enquanto ela dorme você levanta de fininho, da mais um beijo no garoto que dorme no quarto ao lado e abre a porta silenciosamente. O carro mal é visto quando sai da garagem - o porteiro nesses momentos é cego. As ruas estão vazias e você sorri já imaginando o que lhe espera.
Olho mais uma vez a porta fechada, em minha mente visualizo nossa briga: eu grito que não quero mais você aqui, você insiste, diz que me ama que não vai embora, mas eu te expulso do meu quarto, da minha casa, da minha vida. Te mando embora e durmo tranquila. Um sorriso pequeno surge em meus lábios, mas logo volto a roer as unhas pois lembro que você ainda não chegou.
A porta se abre, você surge pedindo desculpas pelo vinho que não trouxe, e eu digo que não importa. Com o coração aos pulos eu me agarro em você, enquanto sua mão corre lentamente pelo meu corpo. Um sussurro baixo no meu ouvido e depois estamos juntos em minha cama.
Os minutos passam, eu sorrio sozinha enquanto você me olha serio. Diz que não pode continuar assim, que eu não devia ter esperanças. Não vai durar para sempre. Mas ao mesmo tempo passa a mão de leve nos meus cabelos e beija delicadamente meu pescoço. Eu finjo que sei de tudo isso, que eu não me importo de nao te ter aqui.
"Amanha você volta, não volta?" Uma criança manhosa pedindo o presente que tanto quer. Você sorri e diz que não sabe, mas no fundo sabe que sempre volta.
Vejo o carro da janela, os farois se afastando. Fecho os olhos ainda sentindo teu cheiro aqui comigo.
Você segue pra sua vida, e eu continuo aqui, esperando que você volte para completar a minha.


ps: O título ficou uma catástrofe, mas eu não sabia o que colocar (na verdade eu nunca sei)

2 comentários:

As Flores e Eu disse...

Eu gostei muito, me fez sentir uma coisa boa com a volta.
Beijos

Karine Brandt disse...

fiquei me imaginando nessa situação hauahuahau, texto muito bom, palavras muito bem escolhidas, tu tem dom pra falar de amor, continua assim...

beeijo