Páginas

domingo, 30 de janeiro de 2011

Sobre amores não correspondidos



      - Meu cupido só pode usar drogas!

      - Não fala assim garota, ele só não sabe mirar muito bem!

      E as duas caem na risada.
      Assim fica mais fácil encarar não é mesmo? Vamos colocar a culpa nesses cupidos que não flecham duas pessoas ao mesmo tempo e acertam apenas uma, culpa dessas flechas paraguaias que eles devem usar!  Vamos rir da situação, afinal, já houveram lágrimas suficientes.
      Ela olha mais uma vez a foto na tela do computador enquanto a amiga a abraça. Ele com aquele sorriso perfeito, o cabelo despenteado e aquela camisa xadrez que ela tanto gosta, ela consegue até imaginar o perfume que ele está usando! Mas não é ela que está sorrindo imóvel ao lado dele. A garota loira que ele enlaça pela cintura não é nem parecida com ela.

      - Vale a pena lutar por ele?

      Ela pergunta com os olhos suplicantes.

      - Mais do que você já lutou? Não vale a pena continuar insistindo em algo que você sabe que não vai dar certo. Sempre é valido lutar por um amor, mas a gente tem que saber a hora de parar, antes que se machuque de mais. E eu não quero te ver machucada!

      As lágrimas correm soltas agora pelo seu rosto. Ela sabe que já lutou, já usou todas as armas que tinha e as que não tinha, e mesmo assim, ele não correspondeu ao sentimento. Ela desliga o computador, resolvida a deixá-lo para trás, a deixar uma parte dela para trás.

      - É o melhor a se fazer não é? Eu mereço alguém que me ame de verdade né?

      - Merece sim amiga, de preferência um “moreno, alto, bonito e sensual”, mas enquanto ele não aparece, vou te deixar comer só mais um chocolate!

      As risadas duram um pouco mais agora.
     Ainda dói, ainda há uma parte nela que quer pegar o telefone e se declarar de novo, que quer continuar a olhar fotos e mais fotos imaginando que um dia ele será dela, ainda há uma parte que o deseja – e o ama - mais que tudo.
      Mas no fundo ela sabe que vai passar, a mão que segura a dela e o sorriso que ela vê no rosto da amiga dão força para que ela acredite nisso. Há mais peixes no oceano, há um mundo repleto de oportunidades, e ela sabe que um dia o cara certo vai aparecer.
      Um amor só se cura com outro. Ela sabe que pode demorar, mas um novo amor sempre surge, e ela espera que dessa vez ele seja correspondido.

Um comentário:

Babizinha disse...

Sensatez é a palavra correta a ser posta em prática nesses momentos... Ah, quem têm amigos para essas horas agradece, né?
Adorei ficar em 3º lugar a seu lado no Bk. Escreve bem, moça! (:
Beijos
:*