Páginas

terça-feira, 15 de junho de 2010

E viva ao Brasil!


Hoje o Brasil entra em campo e como escutei, é hoje que realmente começa a copa para nós. E é hoje que me sinto ainda mais a pessoa menos brasileira desse mundo.
Seria hipocrisia minha dizer que não compartilho de um pouco da excitação dos jogos - torço pra que a Itália, Alemanha ou França ganhe, mas talvez isso seja só minha eterna teimosia de torcer contra a maioria - mas acho esse patriotismo repentino ridículo, e ainda mais ridículo a quantidade de dinheiro investido nessa copa.
Todos sabemos que a África não e um país rico, milhares de vezes ouvimos notícias na TV sobre os casos assustadores da miséria em que a maioria da população vive, mas mesmo assim ela se tornou sede da Copa, construindo estádios, e tentando melhorar a infraestrutura precária do país. Não vou negar que tudo tem seu lado bom, os investimentos com turismo e as melhorias do país vão ficar lá mesmo depois das finais, mas não seria melhor ter utilizado recursos para melhorar a qualidade de vida da população sem precisar da copa?
Em relação ao Brasil, passamos o ano inteiro reclamando da nossa politica, dos nossos impostos, de tudo nesse país tropical, mas quando ouvimos falar no mundial imediatamente vestimos a camiseta da seleção e saimos enlouquecidos, como se amássemos esse chão acima de tudo.
Copa do mundo me lembra aquele antigo sistema utilizado pelos imperadores romanos de "pão e circo". Lógico que sem a parte do pão, afinal milhares de pessoas ainda passam fome nesse país, mas dê um pouco de entreterimento á população para que ela esqueça da corrupção, das contas no fim do mês, da falta de comida na mesa, do frio à noite sem um cobertor. E o mais ridículo, o que eu realmente não entendo é que enquanto os jogadores ganham milhões para jogarem partidas de futebol os meros mortais trabalhadores ralam o dia todo para ganhar um salário mínimo. Você entende?
Daqui a quatro anos teremos o fervor das vuvuzelas ensurdecedoras nas nossas cidades e estádios lindos que custaram milhões. Dinheiro esse que poderia ser transformado em saúde e educação para os brasileiros, mas isso fica para depois não é mesmo? Porque no país do futebol, o que importa mesmo é a bola rolando, o samba tocando e um grito do Galvão Bueno: Gooooooool, é do Brasil!


ps: sim pulei o dia dos namorados, afinal ninguém precisava ler os meus desabafos de garota solteira de mal com a data mais romântica do ano.
ps2: o texto tá meio (ou totalmente) ruim, mas eu tava com saudade de postar aqui.

Um comentário:

Marcelo Henrique disse...

Acho que as pessoas ussam a copa do mundo para sair um pouco da sua realidade, Para a Africa, É um suspiro de alegria em uma vida de tristezas.