Páginas

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Espera...



E mais uma vez ela está ali. Mesmo banco. Mesma praça. Mesmo horário. Todos os dias a cena se repete. Ela apenas permanece ali sentada. Um livro na mão, ou então fones nos ouvidos. Não, não são distrações! Ela não se distrai do seu objetivo, aquilo que a traz ali. Na verdade são meros enfeites, ela nem presta atenção no que lê ou no que ouve. As pessoas passam.Mães brincando com seus filhos, crianças andando de balanço, jovens caminhando. Um casal de velhinhos a olha interessado. Eles não entenderiam. Apenas ela entende. O céu começa a nublar. As pessoas vão indo embora. Aos poucos a chuva começa a cair. Ela permanece imóvel. Mais alguns minutos. Somente mais um pouco. As gotas lavando a tristeza que começava a se alojar em seu peito, levando consigo um pouco da esperança que ali também havia. Ele não apareceu. Ela levanta, repetindo a si mesma que há um motivo. A chuva o impediu. Ela acredita nisso. “Amanhã ele vem” pensa consigo mesma, e um breve sorriso ilumina seu rosto. Ela vai continuar a esperar. Todos os dias. Afinal, ele esperaria por ela também, não esperaria?

3 comentários:

Mayana Carvalho.♥ disse...

"ele esperaria por ela também, não esperaria?"
Essa é a grande dúvida..
Me fez até arrepiar quando eu li essa parte.

beijos

Cindy disse...

lindo. *-*
me fez lembrar o final de um livro, que você vai dar risada se eu disser o nome por se encaixar na literatura ficção-vício-de-crianças... :D (tá, na época eu era criança, mas continuo achando lindo). mas não importa.
repito, texto lindo. ;)

:*
(http://galwaygirl.zip.net)

Luana H. disse...

Huuum...Mto bom, mto bom!
E na verdade é isso que a gente faz todo dia, né? Espera e quando as coisas ou pessoas não chegam culpamos a chuva ou o calor insuportável.

Amei o texto...de verdade!


Beijão.