Páginas

sábado, 5 de dezembro de 2009

Te amo











A água do chuveiro corria sobre seu corpo assim como os pensamentos corriam em disparada para apenas um lugar. Aquilo sobre o qual ele não queria pensar. Sabia que seria assim, ele sempre soube, mas agora falta-lhe a coragem para enfim fazer tudo se concretizar.
Com o chuveiro desligado ele consegue ouvir o leve ressonar dela no quarto, dormindo com um sorriso no rosto sob os lençóis que há pouco envolviam dois corpos. E ele sente o aperto no peito, aquele que pensou que nunca sentiria. Agradece por não poder ver seu reflexo no espelho embaçado, pois não sabe se iria gostar do que visse.
Pega a mala há muito preparada e sai do quarto com algumas lágrimas nos olhos, mas sem olhar para trás, pois sabe que se fizer isso ele não terá coragem de partir. Sabe que isso é o melhor, na verdade ele sempre soube, só estava adiando a partida, abrindo a ferida cada vez mais, pois sabe que ela encontrará alguém melhor, alguém muito melhor que será o que ele nunca foi, que será o que ela precisava que ele fosse.
Não deixou bilhetes nem explicações, números de telefone ou endereço para que ela o encontre, apenas uma frase, sua única certeza, aquilo que faz com que seus pés se movam e a deixem ser feliz. Duas palavras que começam a se dissipar no espelho embaçado...

3 comentários:

Ágatha Alves disse...

nossa flor que lindo...
adorei..

beijos

Juju disse...

Que texto profundo...Suspiros...

Beijujubas

Bárbara Farias disse...

Texto muito bom. TOu seguindo teu blog. Bjão
www.barbarafarias.blogspot.com