Páginas

quarta-feira, 6 de maio de 2009

...

Ela estava lá, sentada à mesa de um bar qualquer, movimentando novamente os gelos dentro do copo, quando ele chegou. O cabelo despenteado e meio úmido pela chuva que caia lá fora. Seu olhar encontrou o da mulher sentada a poucos metros e então ele abriu o sorriso mais lindo que ela já vira. Ele seguiu para o balcão, com o sorriso ainda nos lábios e sem tirar os olhos da garota. Havia algo nela, nos cachos que desciam por suas costas ou nos olhos azuis, que ele não conseguia descobrir o que era, e que de alguma forma o atraia. Se sentou ao balcão e pediu uma dose de wisky. Mal olhou para o garçon, não conseguia tirar os olhos da garota. Ela não conseguia olhar para outro lugar que não fosse o rosto daquele desconhecido. O sorriso que estampava aquele incrível rosto era algo que ela não conseguia explicar. A hipnotizava, tranqüilizava, dava a sensação de que morreria por aquele sorriso e ao mesmo tempo era ele que a faria viver. Ela queria levantar, ir até o balcão e perguntar o nome daquele homem que entrara de repente e invadira sua mente. Ele queria desesperadamente se sentar à mesa ao lado dela saber seu nome, passar o resto da vida olhando aquele rosto. Mas algo os impedia, talvez medo de que aquele momento mágico se perdesse. E assim passaram o resto da noite, fitando-se firmemente, nenhum dos dois tinha coragem de desviar o olhar, temendo que tudo não passasse de um sonho. Foi quando avisaram que o bar estava fechando. Ele se levantou, com o olhar ainda fixo nela, pegou sua jaqueta e se retirou, levando consigo todos os planos que havia feito para os dois. Ela deixou o dinheiro sobre a mesa, se demorou um pouco ao pegar a bolsa, ainda mantinha o olhar fixo no homem que acabara de se levantar, iria para casa, tinha que levantar cedo amanhã, e com certeza passaria o resto da noite sonhando com o futuro dos dois, ela eternamente ao lado daquele desconhecido, cujo sorriso ela nunca esqueceria.

5 comentários:

T disse...

me lembrou um pouco meus textos!
ai ai sorrisos, sorrisos..haha

Yaas disse...

ai, quantos estranhos já não entraram na minha vida, quantos sorrisos já não vi por ai, quantos nomes já não imaginei, quantos planos já não viveram por mais de 24 horas.
beijos :*

Beatrix disse...

parabens pelo texto.

É sempre assim,agente deixar de conhecer pessoas por medo....=x

Ingrid Freire disse...

otimo texto.
sorrisos , sorrisos [2]

rsrsrs
mas acho que ela deveria ter ido falar com ele... rs

Luan Fernando disse...

Um olhar pode representar muitas coisas, incluindo sonhos. Mas sempre tem um tom de medo, que nas maiorias das vezes atrapalha na conquista... a vida é assim.